Faltando um pouco mais de um mês para o Rally Piocerá, que acontece de 20 a 25 de janeiro, entre Teresina Piauí, e Fortaleza, no Ceará, o título de maior rali de regularidade das Américas faz jus ao evento, primeiro porque conseguiu, como poucos, com persistência e dedicação dos seus organizadores, chegar ao jubileu de prata. São 25 anos elevando o esporte, que foi e é modelo e escola para tantos outros eventos e competidores, ao longe desses anos. A próxima edição está com seus preparativos a mil visando mais uma edição grandiosa. Também será a primeira vez que a competição abrirá a temporada valendo por três campeonatos nacionais de regularidade, o de moto e de quadriciclo, pela Confederação brasileira de Motociclismo (CBM), e o de cross country de rally para carros 4x4, válido pela Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA).

Fora essas três modalidades, o Piocerá inova, como é um traço seu, e traz a mais nova modalidade – os UTV e novamente em um roteiro paralelo para o Rally de Bike, aliás o Piocerá é o único rali do mundo a contar com uma competição voltada para o mountain bike. Competidores de 24 estados do Brasil e pelo menos outros três países, Itália, Suíça e Portugal, estão confirmados nesta aventura de grandes proporções. São dezenas de equipes na parte organizacional, preparadas para garantir toda segurança e operacionalidade que vem sendo programada desde o início de 2012, ou seja, para que o evento aconteça os preparativos começam logo após o término de uma edição. A organização conta com quase 150 pessoas na organização, atuando diretamente durante o rali. Estas equipes compõem o staff, diretoria, coordenação, secretaria de prova, assessoria de comunicação, fotógrafos, equipes técnicas, motoristas, pessoal de informática, equipe de cronometragem e apuração, cenografia, equipe médica, imprensa convidada, entre outros.

Entre os competidores são esperados aproximadamente 450 competidores. Ao todo, são mais de 1.100 pessoas na caravana. Uma parte vem em busca de bons resultados no ranking nacional das modalidades que valerão pelos campeonatos nacionais e a grande maioria em busca dos títulos de 1ª à 5ª colocação de cada categoria da competição, o que é motivo de orgulho e status, já que o Piocerá – Cerapió é uma competição que exige preparação e estratégias, tendo aqui competidores já consagrados no cenário nacional e internacional do off-road.  Muitos treinam durante meses e se preparam para estar na grande arena e encarar quase 1.200 km de percurso em quatro dias de competição.

O Rally Piocerá 2013 tem uma logística grandios. A organização conta com aproximadamente 30 carros 4x4, sete motos, dois caminhões, equipe médica composta por mais de 10 profissionais preparados, entre médicos, paramédicos e enfermeiros, além de carros 4x4 nas trilhas com todo material para primeiros socorros, ambulâncias e UTI móvel, prontas para realizar até cirurgias. A prova conta ainda com helicóptero e competidores e organização contam com seguro de vida.

O roteiro para o Piocerá será novamente inédito e vai percorrer quase 70% do Circuito Serras Nordeste, em cenários naturais nunca antes desbravados em provas off-road. São dezenas de municípios na rota do rali, gerando divisas, movimentando o turismo e a troca de cultura. O trade turístico é um dos que mais faturam. “Todas as cidades, desde a largada até a chegada, sentem os efeitos do evento, que eleva a economia local. Há municípios onde temos que alugar residências para conseguir instalar a organização, porque a rede hoteleira não consegue comportar a todos. Restaurantes, bares, lanchonetes, postos de combustíveis, oficinas mecânicas e o comércio em geral ficam incrementados, gerando um boom”, destacou a diretora executiva, Flávia Moreira.

O Rally Piocerá começa no dia 20 de janeiro, com as vistorias. No dia 21, mais vistorias, a largada promocional e os briefings técnicos. No dia 22, a prova começa com a largada oficial. As bikes encerram o 1º dia em Campo Maior e as demais modalidades desaceleram e pernoitam em Pedro II, ao Norte do Piauí. No dia 23, largada de Pedro II rumo ao Ceará, com parada em Ubajara, onde as bikes fazem um circuito. No dia 24, 3º dia de prova, a largada será de Uabajara até Guaramiranga para carros, motos e quadriciclos. As bikes voltam a fazer um circuito, nos limites de Guaramiranga. O 4º e último dia de prova será entre Guaramiranga e Fortaleza. As bikes largarão de Palmácia e encerram a prova em Fortaleza.

As inscrições para todas as modalidades continuam abertas aqui no site oficial. O Rally Piocerá tem: Patrocínio: Ipiranga e Caixa - Governo Federal. Co-patrocínio: Governo do Ceará, Governo do Piauí, TAC Motors e Honda. Apoio: Houston. Supervisão: Federações de Motociclismo do Piauí e Ceará- FMP/FCA e Confederação Brasileira de MotociclismoCBM, Federação Cearense de AutomobilismoFCA, Confederação Brasileira de Automobilismo - CBA e Federações de Ciclismo do Piauí e Ceará- FCiclopi e FCC, filiadas a Confederação Brasileira de Ciclismo- CBC; Realização - Radical Produções.

 

Márcia Cristina
Aldeia Com

Notícias mais recentes

29/06/2020
Mulheres dominam Live exclusiva para elas do Rally Piocerá/Cerapió
22/06/2020
Conversa de campeões marca Live com o pessoal dos carros e UTVs do Rally Piocerá/Cerapió
15/06/2020
Terceira Live do Rally Piocerá/Cerapió reúne integrantes das motos e quadriciclos
05/06/2020
Bate-papo com galera das bikes agita os canais do Rally Piocerá/Cerapió
26/05/2020
Rally Piocerá lança 34ª edição para 2021 entre Piauí e Ceará