Os preparativos para o Rally Piocerá 2021 estão a todo vapor. A competição será realizada de 26 a 30 de janeiro, com largada em Teresina (PI) e chegada em Aquiraz (CE). Ao todo, os participantes das bikes vão percorrer 356 quilômetros durante quatro dias de prova, com circuitos em Piripiri (PI), Guaraciaba do Norte (CE), trechos entre Santa Quitéria (CE) e Canindé (CE), além de Guaramiranga (CE) e Maranguape (CE).

As bikes já fazem parte do evento há 20 anos. A primeira edição que contou com a prova da modalidade foi em 2001. De lá para cá, o número de atletas e categorias só aumentou. Em 2020 foram 150 participantes.

Quem comanda a caravana das bikes é o diretor de prova Zenardo Maia. “Depois de tanto tempo levantando trilha para o Rally Piocerá ainda me surpreendo com os trechos e belezas dessas regiões”, destaca.

Ele conta que o primeiro destino da edição 2021 será o Parque Nacional de Sete Cidades. “O local guarda tesouros arqueológicos que datam de 6.000 anos e trazem a história das civilizações antigas em vários painéis de pinturas rupestres. Uma verdadeira viagem pelo tempo. É nesse lugar místico que começaremos nossa aventura com a primeira etapa para as bikes”, completa Maia.

Diante do atual momento de pandemia devido ao coronavírus, a 34ª edição do Rally Piocerá/Cerapió tem como prioridade os cuidados com a saúde. Por isso, diversas medidas serão adotadas, como as bases do evento em cada cidade sem acesso ao público; exigência de teste negativo para a Covid-19 a todos os participantes; medição de temperatura na entrada do evento; distanciamento social em atividades presencias, como as retiradas de kits, e realização de reuniões vituais, como os briefings.

“Todas essas ações têm o objetivo de garantir a segurança das pessoas envolvidas na competição, como os atletas, equipes de apoio e colaboradores. Também teremos atendimento médico especializado em caso de algum integrante da caravana do rali apresentar sintomas da Covid-19”, conta Ehrlich Cordão, diretor geral do Rally Piocerá 2021.

A competição conta também com disputas nas Motos, Quadriciclos, Carros e UTVs, que percorrerão mais de 1.000 quilômetros.

O Rally Piocerá 2021 é válido pelo Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade (CBM) e pelo Campeonato Brasileiro de Rally de Regularidade (CBA). O evento tem copatrocínio do Consórcio Honda, Governo do Estado do Piauí, Governo do Estado do Ceará e apoio da Audax, Reron e ITTNet. A realização é da Radical Produções.


Programação Rally Piocerá 2021

26/1 - terça-feira - Teresina (PI)
Vistoria técnica, briefing virtual e largada promocional

27/1 - quarta-feira – 1º Dia

Bikes – Circuito em Piripiri (PI) – 109 km, com 1.530 m de ascensão

O dia começa com uma trilha fechada em meio do Parque Nacional de Sete Cidades, onde será possível ver inúmeras pinturas rupestres pintadas pelo homem primitivo há cerca de 6.000 anos. De lá, a prova entra no Sertão e passa por trilhas muito antigas, porém inéditas para a maioria. Terá de tudo: veredas, piso natural, cascalhos, piçarra, muitas subidas técnicas e descidas incrimes. Na chegada, um refrescante banho no Açude Caldeirão brindará o dia.


28/1 - quinta-feira – 2º dia

Bikes - Circuito em Guaraciaba do Norte (CE) - 83 km, com 1.700 m de ascensão

O Urubu Eco Parque, um paraíso ecológico será o local da arena de largada e chegada do segundo dia. A prova começa com um "Single Track" alucinante pela costa da Serra até chegar em uma trilha histórica usada pelos tropeiros e jesuítas que colonizaram a região no século XVIII. Na sequência, os atletas encaram uma descida de serra até chegar no sertão, com variação de temperatura e altitude. Por fim, o momento da subida de volta, com piso firme, que proporciona uma forte tração.


29/1 - sexta-feira – 3º dia

Bikes – Santa Quitéria (CE) a Canindé (CE) - 81 km, com 1.550 m de ascensão
O cenário da prova muda completamente, ao adentrar no sertão a caminho de Canindé (CE). A trilha começa por estradinhas de piso natural, que se alterna com cascalho e às vezes um pouco de piçarra. No geral, será uma trilha de médias altas e passará por sítios, fazendas e alguns açudes. A vegetação predominante é a caatinga, ou seja, será muito sol na “moleira”. Depois de muita trilha e 1.550 metros de altimetria acumulada, os atletas finalmente chegam em Canindé, terra de muita fé e com a maior romaria franciscana da América Latina.


30/1 – sábado – 4º dia

Bikes – Guaramiranga (CE) a Maranguape (CE) - 83 km, com 1.450 m de ascensão
O último dia começa com subidas, seguindo pela zona rural da cidade cruzando muitas vilas, sítios e povoados. Será uma verdadeira “gangorra” de ladeiras de terra batida, às vezes calçamento ou mesmo asfalto.  Os atletas passarão por muitos lugares bonitos, além de um visual encantador do Maciço de Baturité. A descida de serra continua por estradinhas de terra. Será uma etapa rápida, com médias altas. O último desafio será atravessar a Serra da Aratanha, em uma trilha que é uma vereda, que leva a uma subida que parece não ter fim. Uma sequência de descidas rápidas levarão os atletas a cruzarem a linha de chegada.

 

Notícias mais recentes

05/03/2021
Consórcio Honda apresenta série de vídeos do Rally Piocerá 2021
19/02/2021
Jomar Grecco, uma história de persistência
31/01/2021
Rally Piocerá 2021 consagra grandes campeões nas motos
31/01/2021
Campeões dos carros, quadriciclos e UTVs comemoram conquista do Rally Piocerá 2021
31/01/2021
Bikes: Edição história de 20 anos da modalidade no Rally Piocerá termina com grandes emoções